quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

DENÚNCIA GRAVÍSSIMA: FACEBOOK CENSURA JAIR BOLSONARO





Leudo Costa, do canal YouTube Cristal Vox alerta sobre suposta denúncia de censura por parte da Rede Social Facebook. De acordo com o vídeo a página do Jair Bolsonaro está travada sem puder receber mais curtidas. Insisto, são denúncias gravíssimas, vale lembrar que Bolsonaro é a figura mais curtida nas redes sociais. Confira AQUI. Resumo, os usuários não podem convidar amigos para curtir a página do Bolsonaro, isso é gravíssimo. 

Deputado Carlos Augusto trabalha nos bastidores contra o pacote de maldades do Governador Robinson Faria!

Resultado de imagem para deputado carlos augusto maia siteO Deputado Estadual Carlos Augusto, (PSD-RN) articula junto aos deputados da Assembleia do RN contra o pacote de 18 medidas impopulares. Dessa forma, é preciso cautela para jogar de cima para baixo e que trará consequências para o trabalhador.
O país vive um caos generalizado, o estado do Rio Grande do Norte não é diferente, é preciso unir forças, vamos aguardar os próximos passos.
Ainda sobre o plano do governador Robinson prevê demissões, retirada de direitos, privatizações e extinções de secretarias.
O Governo convocou às pressas os 24 deputados estaduais para deliberar sobre 18 medidas emergenciais que, na prática, repassam para o funcionalismo estadual o ônus da crise. Até o momento, apenas dois deputados se posicionaram publicamente contra o pacote: Fernando Mineiro (PT) e Kelps Lima (Solidariedade). Ambos cobraram da atual gestão, entre outras ações, uma revisão na política de isenções fiscais pelo Estado e a redução no repasse para os demais Poderes.

Há 23 meses consecutivos recebendo os salários com atraso, os servidores podem ver ainda seus vencimentos reduzidos em 3% caso a proposta de reajuste na alíquota previdenciária de 11% para 14% seja aprovada pela Casa.

Matéria A Voz do Povo/ Saiba mais SAIBA MAIS JOR

MPF obtém liminar obrigando Dnit a recuperar BR-427 no RN

Resultado de imagem para buracos rodovia 427 RN

O Ministério Público Federal (MPF) obteve da Justiça uma liminar que obriga o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) a recuperar o trecho da BR-427 entre os municípios de Currais Novos e Caicó, no Rio Grande do Norte. A decisão, resultado de ação civil pública ajuizada pelo MPF, concede um prazo de 15 dias para que o departamento lance um procedimento administrativo emergencial que resulte na contratação de empresa ou entidade pública para execução da obra, devendo os serviços serem iniciados em no máximo 30 dias após a conclusão desse procedimento.

A rodovia, destaca o MPF, apresenta muitos buracos e desníveis e, somente nos 90km que separam essas duas cidades, ocorreram 60 acidentes automobilísticos em 2017 (inclusive com mortes), ou seja, mais de um por semana. Na liminar, o juiz federal Arnaldo Pereira Segundo cita, inclusive, o relatório fotográfico do próprio Dnit, que aponta a “existência de diversos buracos e afundamentos na pista de rolamento da aludida estrada, assim como indicação de providência que não se deu (contratação de empresa para serviço de manutenção), desde junho de 2017”.

O magistrado lembra que, enquanto o problema não é solucionado, não só a pista vai se deteriorando ainda mais, como também as “contínuas condenações de reparar danos” em ações movidas pelos cidadãos - vítimas de acidentes causados pela falta de estrutura da via – vão somando mais e mais prejuízos para o Dnit e, por conseguinte, para o próprio poder público. “(...) a solução definitiva, a longo prazo, é economicamente mais viável”, compara.

Arnaldo Segundo reforça que a situação da BR-427 revela a falta de planejamento do Dnit, “que espera a deterioração das vias federais, para depois realizar operações 'tapa buracos', que muitas vezes são serviços de má qualidade, haja vista a diminuta vida útil do material empregado”.

Riscos - Em sua ação, assinada pela procuradora Maria Clara Lucena, o MPF ressalta que os motoristas são obrigados, devido aos buracos, a transitar na contramão em alguns trechos e, a depender do tráfego e da localização das “verdadeiras crateras”, praticamente parar seus veículos, aumentando inclusive o risco de se tornarem alvo de assaltos.

Um veículo oficial do Dnit foi flagrado transitando entre Caicó e Acari pela RN-288, uma via estadual que serve de alternativa à BR-427 nesse trecho. “(...) se nem o DNIT se arrisca em utilizar as rodovias por ele conservadas, por que impor tal fardo à população seridoense?”, questiona o Ministério Público Federal.

Somente na 9ª Vara Federal do RN, localizada em Caicó, há 19 ações movidas por particulares contra o Dnit ou a União buscando o ressarcimento dos danos decorrentes de acidentes ocasionados pela má conservação da BR 427, sendo que a maioria vem sendo julgada procedente. Na liminar concedida no processo aberto pelo MPF (0800010-19.2018.4.05.8402), a Justiça estipulou uma multa de R$ 5 mil diários em caso de descumprimento dos prazos.

Maia: reforma da Previdência é prioridade, mas sem otimismo quanto à aprovação

Reforma é necessária para atrair investimentos, mas não será fácil aprová-la, diz o presidente da Câmara, Rodrigo  Maia   Tânia  Rêgo/Arquivo/Agência  Brasil
Rio de Janeiro - Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, durante seminário para debater segurança pública no estado, na Câmara de Comércio Americana (Tânia Rêgo/Agência Brasil)O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reafirmou hoje (16), em Washington, que não há otimismo quanto à aprovação da reforma da Previdência em fevereiro.
Em discurso na Câmara de Comércio dos Estados Unidos, Maia disse que mudar a legislação previdenciária no Brasil não será fácil, apesar de a reforma ser necessária para atrair investimentos para o país.

O deputado ressaltou que o Brasil está em ano eleitoral, o que deve afetar a agenda do Congresso Nacional e voltou a atribuir o atraso na votação da reforma em plenário às denúncias apresentadas pela Procuradoria-Geral da república contra o presidente Michel Temer no ano passado. Segundo Maia, a composição da base aliada ao governo caiu de 360 deputados para 250, depois da votação das denúncias na Câmara.
“Neste momento, a gente prioriza a agenda da reforma da Previdência sem nenhum tipo de otimismo, sem nenhum discurso em que a gente diga que esta é uma matéria que estará resolvida em fevereiro de 2018”, disse Maia aos empresários.
Maia criticou a decisão da Justiça Federal do Rio de Janeiro em suspender a nomeação e posse da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) como ministra do Trabalho. Cristiane foi indicada para o cargo em meio a negociações do governo com lideranças partidárias a fim de angariar votos para a aprovação da proposta que altera as regras de acesso à aposentadoria.
“Não é fácil, e nós temos problemas hoje no Brasil na relação entre Poder Judiciário e, principalmente, Poder Executivo. Algumas decisões do presidente têm sido barradas pelo Judiciário, o que é grave. Isso também atrapalha a reforma da Previdência. Estamos, desde o dia 3, sem conseguir nomear a ministra do Trabalho – isso gera um impasse dentro de um partido que não tem muitos votos, mas para uma votação que a gente sabe que não é fácil chegar ao número necessário. Isso sempre gera dificuldades e atrasa a capacidade de articulação do governo”, declarou Maia.
A proposta aguarda análise do plenário desde maio do ano passado. Por se tratar de proposta de emenda â Constituição, são necessários pelo menos 308 votos favoráveis entre os 513 deputados para a reforma ser aprovada pelo plenário, em dois turnos. A votação da PEC em plenário está marcada para 19 de fevereiro.
Rodrigo Maia participa, até quinta-feira (18), de encontros oficiais com autoridades, políticos e empresários nos Estados Unidos e México. O presidente da Câmara afirmou que, a partir de semana que vem, vai se reunir com todos os líderes e parlamentares para checar “se está muito longe ou muito perto de votar essa reforma”

Fonte: Agência Brasil

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Procuradoria pede 386 anos de prisão para Cunha e 78 anos para Henrique Alves

Eduardo Cunha e Henrique Alves. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Em alegações finais no processo da Operação Sépsis, que investiga desvios no FI-FGTS, Ministério Público Federal atribui a ex-presidentes da Câmara dos Deputados corrupção, lavagem de dinheiro e prevaricação e ainda cobra dos emedebistas um total de R$ 16,9 milhões em multa
Em alegações finais no âmbito da ação penal derivada da operação Sépsis, que investiga desvios no fundo de investimentos do FI-FGTS, o Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça que os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha (MDB) e Henrique Eduardo Alves (MDB) sejam condenados, respectivamente, a penas de 386 anos e de 78 anos de prisão. De acordo com a acusação, Cunha cometeu os crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e prevaricação. Henrique Alves, por sua vez, responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Documento
Além dos dois ex-parlamentares, que já estão presos, são réus no processo o ex-vice-presidente da Caixa, Fabio Cleto, o corretor Lúcio Bolonha Funaro e seu funcionário Alexandre Margotto. Os três assinaram acordos de delação premiada e, portanto, os procuradores sugerem o cumprimento das penas estipuladas nas negociações.

A petistas presidente do TRF-4 relata ameaças e preocupação com conflitos

CATIA SEABRA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), Carlos Eduardo Thompson Flores, afirmou a congressistas petistas, nesta sexta-feira (12), que está preocupado com as ameaças de conflitos durante julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 24.
À delegação de petistas ele afirmou ter relatado sua apreensão à presidente do STF, ministra Carmen Lúcia, e à procuradora-geral, Raquel Dodge. Segundo ele, o tribunal, com sede em Porto Alegre, tem detectado pressões de todos os lados, especialmente em manifestações em redes sociais.
Os petistas entregaram ao desembargador uma carta com críticas a ele próprio, além do juiz Sérgio Moro, que condenou Lula na primeira instância.
Sem citar nominalmente Thompson Flores, os petistas afirmam, no documento, que recentes elogios à decisão de Moro "lançam preocupação sobre o caráter do julgamento".
AMEAÇAS
O presidente do TRF-4 disse que os juízes estão recebendo ameaças e que alguns deles tiraram suas famílias do Estado. Ele citou o caso de uma pessoa do Mato Grosso do Sul que tem ameaçado atacar fisicamente o prédio do TRF-4.
O desembargador contou também ter recebido um telefonema do presidente da associação de magistrados com relatos de ameaças a juízes.
Em resposta, os petistas alegaram não haver orientação neste sentido e que as ameaças devem ser acompanhadas caso a caso.
"Não há nos movimentos sociais qualquer disposição para conflitos, não há orientação nesse sentido", diz o deputado Marco Maia, admitindo haver "radicalismo" de todos os lados.
Segundo o tribunal, o presidente da corte disse que aceita "prontamente a colaboração para assegurar a segurança de todos os envolvidos". "Pedimos que divulguem a mensagem por manifestações pacíficas", disse ele.
Autoridades que quiserem acompanhar o julgamento terão acesso ao tribunal e assistirão à sessão em um telão. A sala de julgamentos ficará restrita a advogados e partes. 
Fonte: Folha Press

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Engenheiro Caramuru lançou sua pré-candidatura a Deputado Federal!

O Engenheiro Agrônomo Caramuru Paiva, formado pela UFERSA, figura respeitada, ex vice-prefeito de Campo Grande-RN, Delegado do MDA durante à gestão de Dilma Rousseff conta em seu currículo um relevante trabalho em todo o estado do Rio Grande do Norte. Dia 12/01 foi marco do lançamento de sua pré-candidatura e que se consolidará pelo Partido dos Trabalhadores. (Comentário A Voz do  Povo). 

Caramuru Paiva é também aluno do Mestrado em Planejamento e Dinâmicas Territoriais no Semiárido da UERN (Campus Pau dos Ferros). É atuante nas lutas do campo, das águas e da valorização das cidades do interior.

Caramuru Paiva é de Campo Grande/RN, cidade pequena do interior do Estado. Vive o interior e luta por ele. Sabe o que é sofrer por sede de água e por sede de atenção de governantes que só dão atenção aos ricos da grande Natal e da Via Costeira.  

O evento foi realizado no município de Campo Grande, com presenças de varias autoridades: O Professor do Campus da UERN do Município de Pau dos Ferros Gilton Sampaio, vice-diretor do Campus de Patu, Professor Aluísio Dutra, a ex-professora e ex-vice-diretora  do Campus da UERN em Assu, hoje da UFRN, Dra. Leida Almeida, o coordenador da União dos vereadores do Rio Grande do Norte-UVERN, Vereador do município de Felipe Guerra Ubiracy Pascoal-PR, entre outras.